Sobre

Mariana Braz é psicóloga e vive fora do Brasil há seis anos, tempo em que vem trabalhando com mulheres imigrantes em diversos países, particularmente mulheres que vivenciaram assédio e discriminação motivados por sua raça, etnia, gênero e nacionalidade, e mulheres sobreviventes de violência doméstica. Há três anos desenvolve o Brasileiras Não Se Calam, projeto que tem como objetivo debater as dificuldades enfrentadas por mulheres brasileiras no processo de imigração.


Formação acadêmica

É licenciada em Psicologia e mestre em Psicologia Clínica pelo ISPA, e tem como campos de estudo a Psicanálise, o feminismo decolonial, o racismo, a xenofobia, a violência contra mulheres, a violência doméstica, e a violência contra pessoas lgbtqia+.

Experiência profissional

Tem atuado com mulheres imigrantes, principalmente mulheres brasileiras, na clínica individual ou em grupo. Também já atuou durante dois anos em instituições que prestam apoio à mulheres sobreviventes de violência doméstica e à imigrantes em Portugal, e durante um ano em clínicas sociais no Brasil. Como trabalha majoritariamente com mulheres imigrantes, tem realizado atendimentos apenas de modo online.